jazz topo 01

O que o Jazz tem a ver com Inovação?

Por

Rafaela Sanzi

dia de de

Precisamos de uma nova forma de trabalhar em conjunto, o Jazz nos dá algumas pistas.

A boa colaboração entre as pessoas é o segredo de sucesso das companhias, conforme Jim Kalbach, executivo da ferramenta de design thinking online, Mural. A colaboração é um sintoma da cultura organizacional e reflexo da dinâmica das equipes de trabalho. Segundo ele, a dinâmica de improvisação do Jazz serve como modelo para melhoria do trabalho em equipe.

Se o Jazz tem muito a contribuir com a colaboração entre as pessoas na empresa e o trabalho em equipe, então também contribui para uma cultura mais inovadora, pois as grandes ideias vem fundamentalmente da troca de ideias e colaboração entre as pessoas. 

São três os aspectos-chave da improvisação do jazz que levam a uma condição excepcional de colaboração e um tipo especial de parceria no jazz, segundo Jim Kalbach:

Escutar mais: Cada pessoa do time traz consigo algo único, mas é somente quando as pessoas se encontram é que coisas grandiosas acontecem. Os músicos do Jazz falam sobre a importância de ter ‘grandes ouvidos’, o que significa escutar mais os outros do que a você mesmo. Com isso em mente, ter empatia, respeito e confiança pelos colegas de equipe e pelas regras é crítico para uma cooperação efetiva.

Abraçar a incerteza: músicos de Jazz assumem riscos. Eles vivem o presente o tempo todo. Entram em cada performance com a mente aberta, como uma mente de iniciante, desejando explorar o desconhecido. No ambiente de negócios de hoje, ninguém tem todas as respostas. Você precisa criar um ambiente seguro para experimentar e explorar.

Seguir o método: Explorar o desconhecido e abraçar a incerteza não significa ignorar as todas as regras. Pelo contrário, padrões de comportamento e parâmetros norteadores se tornam mais necessários na improvisação. A improvisação do Jazz é repleta de estruturas e limites. Uma vez que o método e as regras estejam internalizados por todos, há um campo fértil para explorar o novo.

Sob a ótica da inovação, os três fatores acima são fundamentais e também desafiadores para as empresas. A nossa experiência trabalhando com o florescimento da cultura de inovação, me leva a crer que o principal desafio é compreender o suave equilíbrio que há entre a abertura para a incerteza e a segurança do método para inovar. Somente este equilíbrio conduz a empresa a desbravar oceanos azuis sem coloca-la em risco.

Saiba mais sobre o assunto:
De onde vêm as grandes ideias? (Steven Johnson)
TEDxJerseyCity- Jazz improvisation as a model for radical collaboration (Jim Kalbach) 
Artigo de Jim Kalbach: Jazz as a Model for Teamwork