livros

Os livros de inovação que todo inovador deve ler

Por

Innoscience

dia de de

Semanas atrás estávamos conversando na Innoscience sobre o desafio de um de nossos clientes. Frequentemente recorremos a nossa biblioteca para consultar modelos, ferramentas e teorias para suportar nossas análises e prescrições. Da mesma forma que um médico faz quando precisa tratar de determinada situação de um de seus pacientes. A medida que buscávamos os livros começamos a discutir quais seriam os livros de inovação que todo inovador deveria ler. Optamos por definir os 10 livros que são leitura obrigatória para todo potencial inovador.

  1. O Dilema do Inovador. Clayton Christensen apresentou os conceitos de disruptive innovation e como as empresas bem gerenciadas, fazendo tudo que devem fazer para seguir sendo bem administradas podem sofrer rupturas de novos entrantes. Detalhando sua pesquisa no segmento de disk drives e no setor siderúrgico o autor mostrou que as inovações de ruptura são uma alternativa distinta que merece atenção das grandes empresas. A partir desse livro o autor escreveu sua sequencia, Innovator’s Solution, Innovator’s Prescription, Seeing What’s Next e Innovator’s DNA, todos imperdíveis.
  1. A Estratégia do Oceano Azul. W Chan Kim e Renee Mauborgne defendem a ideia de que a orientação concorrencial reduz a ênfase em inovação e que as empresas devem criar “oceanos azuis” que são novos espaços de mercado onde não existe concorrência. Apresentam uma série de ferramentas com destaque para a Curva de Estratégia, muito útil para comparar a proposta de valor de sua empresa com as demais alternativas disponíveis. Utilizam os cases do Cirque du Soleil e do Nintendo Wii para sustentar a tese. Um dos maiores blockbusters da história de livros de negócios.
  1. Beyond the Idea. Vijay Govindarajan e Chris Trimble enfocaram o outro lado da inovação, a transformação de ideias em resultado dentro de organizações estabelecidas. Os autores evidenciam que os desafios de estrutura, alocação de recursos e gestão de projetos inovadores são decisivos para executar a inovação. O modelo de classificação de projetos inovadores que apresentam é bastante útil para definir políticas de gestão.
indicador-potencial-inovador
  1. Business Model Generation. Alexander Osterwalder co-criou o livro inspirado em sua tese de doutorado na qual define, organiza e traduz o modelo de negócio. Apresenta o Canvas como uma ferramenta gráfica de elaboração, prototipação e testagem de novos modelos de negócio. O livro ganhou o mundo por meio de start ups e designers de negócio que viram na ferramenta uma forma clara e fácil de comunicar as principais escolhas estratégicas de um modelo de negócio.
  1. Open Innovation. Henry Chesbrough redefiniu a prática da inovação evidenciando que nem todas as oportunidades devem ser concretizadas internamente e que nem todas as ideias devem ser originadas na própria organização. A obra do autor abriu o caminho para considerar de forma sistemática stakeholders externos a empresa em seu processo de inovação e aumentar a eficiência das iniciativas inovadoras.
  1. Discovery Driven Growth. Os autores Rita Mc Grath e Ian MacMillan apresentaram o planejamento por descoberta, método de gestão de projetos inovadores que deu origem da ideia de lean start up e que trata as iniciativas inovadoras como projetos de incerteza que devem ser sistematicamente respondidas num roteiro de testes e experimentos denominado Discovery driven planning. Influenciaram de forma significativa o campo e deram origem a novas técnicas.
  1. Inovação Prioridade Número 1 – Peter Skarzynski e Rowan Gibson montaram o livro para ser um guia para o gestor que quer estruturar a inovação na empresa. Cada um dos 12 capítulos possui uma série de perguntas que precisam ser respondidas para configurar a inovação no contexto do negócio e coloca-la como prioridade número 1. Os deveres das lideranças são as ações que precisam ser colocadas em prática pelos inovadores e gestores da inovação.
  1. The First Mile – Nesse livro Scott Anthony aborda um tema muito relevante nos projetos de inovação: como superar os desafios iniciais em transformar uma ideia em realidade. A partir do modelo DEFT (em português: Documentar, Avaliar, Focar e Testar) tanto empresas já estabelecidas quanto startups podem seguir os passos e ferramentas sugeridas no livro. Ainda não tem tradução para o português mas apresenta uma abordagem a um tema importante para os inovadores.
  1. Disciplined Entrepreneurship. Bill Aulet do MIT com quem tive o prazer de estudar montou o melhor conjunto de ferramentas para desenvolvimento de novos negócios. Aplica-se tanto a startups como inovação corporativa. O autor oferece um passo a passo em 24 etapas que envolvem questões de mercado, finanças, modelo de negócio de forma clara e ilustrada. Depois desse livro os empreendedores e intra-empreendedores passaram a ter ferramentas para tornar o empreendedorismo mais previsível.
  2. Liderando a Revolução. Esse é um clássico do ano 2000 de Gary Hamel. A tese central está na importância da busca por inovações radicais por empresas de diferentes setores. É um livro que apresenta a lógica da inovação como estratégia e tem como objetivo sensibilizar o leitor de que as revoluções nos mercados podem ser feitas. Apesar de uma visão mais estratégica não deixa de apresentar dicas práticas de como fazer a “revolução”.

A inovação tem criado novas mídias e plataformas. Ebooks, audiobooks, podcasts e vídeos. Mas há conteúdos que não são perecíveis. Os 10 livros acima apresentados são lições duradouras, práticas e testadas para quem tem o desafio de inovar.

Até a próxima inovação.

Maximiliano Carlomagno e Felipe Scherer