topo

Por que você, sua empresa e a sociedade precisam inovar?

Por

Innoscience

dia de de

A inovação domina a pauta no ambiente de negócios global e local. O tema é prioridade não apenas na agenda de CEO’s de grandes corporações, founders de startups e também de gestores, funcionários, membros de ONGs e órgãos de gestão pública.

Afinal de contas qual o racional subjacente a essa demanda por inovação?

Toda vez que emerge um tema novo de gestão tendo a fazer um exercício bastante simples e útil: Questionar porque tal tema é relevante e tentar desdobrar sua proposta de valor. Foi assim na época da internet. Fiz o mesmo com o conceito de CRM quando trabalhava na área. Tempos depois repeti essa mecânica com o planejamento estratégico.

Dediquei os últimos dez anos a consultoria em inovação corporativa. Naturalmente tenho questionado qual a proposta de valor da inovação. Por que inovar? O que você ganha? Qual o benefício para sua empresa? Quais os benefícios para a sociedade?

Vamos dividir essa análise da perspectiva mais abrangente para a mais específica. Comecemos pela sociedade para então chegarmos na empresa e no indivíduo.

 

Para a Sociedade

Segundo Schumpeter, economista austríaco, as inovações explicariam os saltos de desenvolvimento econômico das nações. O processo de “destruição criativa” dos empreendedores seria o responsável por desequilibrar os mercados e trazer ganhos econômicos para os inovadores que gerariam um “monopólio temporário”.

Falando em inovadores, nunca precisamos tanto de inovações para resolver nossos problemas. Os desafios de saúde, educação, mobilidade e segurança que enfrentamos com uma população global de alguns bilhões de pessoas exigem novas abordagens. Ou inovamos como sociedade (e ai não me refiro apenas a novas tecnologias) ou ficaremos presos na nova idade da pedra.

Mesmo que em alguns países o investimento em P&D do setor público seja relevante, os governos não são, em sua maioria, bons inovadores. Não há sequer incentivos claros para gestores públicos tomarem riscos. Pelo contrário, há uma série de mecanismos de inibição da conduta empreendedora. Se quisermos resolver nossos problemas e atingir novos patamares de qualidade de vida teremos que contar com empresas inovadoras.

O Google chama de moonshots e de tecnologias exponenciais o manancial de soluções e mentalidade necessárias para vencer tais desafios e impactar bilhões de pessoas. É fundamental que entendamos enquanto sociedade a necessidade de sacrificar um pouco o hoje para garantir o amanhã, ou iremos vivenciar um amanhã bem mais complexo e desafiador do que o atual.

 

Para a Empresa

Uma sociedade inovadora exige empresas inovadoras.  Para resolvermos os problemas da nossa sociedade atual temos que nutrir essa mentalidade e ambição bem como facilitar a emergência de organizações inovadoras. É sabido que as empresas inovadoras apresentam melhor desempenho por terem vantagens competitivas frente a seus concorrentes. Eu tenho e você não tem. Assim, consigo cobrar mais ou gastar menos para oferecer algo ao cliente pelo qual competimos. No entanto, num ambiente de hipercompetição onde as vantagens competitivas são transitórias, é necessário um fluxo contínuo de novas vantagens. Essas novas vantagens são resultado de produtos, serviços, processos e modelos de negócios únicos e indisponíveis aos demais concorrentes.

As empresas mais inovadoras apresentam menor taxa de mortalidade, maior taxa de crescimento da receita e lucro assim como valorização incremental no preço de suas ações. Há uma forte correlação entre desempenho econômico financeiro superior e grau de inovação das empresas. A Innoscience validou essa hipótese com o 3i, um índice de ações das empresas mais inovadoras do Brasil. As mais inovadoras apresentaram o dobro de valorização de mercado do Ibovespa num intervalo de 5 anos.

 

Para o Indivíduo

Ok, a sociedade se desenvolve, a empresa obtém vantagem competitiva mas e eu com isso? Agora sejamos pragmáticos. Quem inova nas empresas, mesmo com a consolidação da inteligência artificial, são as pessoas. Sem inovadores não há inovações. A proposta de valor da inovação para o individuo, CEO, diretor, gerente ou funcionário é avassaladora.

Um antigo prof. do MIT, Abraham Maslow, elaborou o que veio a ser dominado como a hierarquia das necessidades dos seres humanos. Maslow argumentou que à medida que tem suas necessidades mais básicas atendidas, os seres humanos buscam atingir níveis mais elevados de suas necessidades. O topo dessa dita pirâmide das necessidades envolve realização pessoal, criatividade, solução de problemas e significado.

Ao conversar com inovadores corporativos, empreendedores de startups e empreendedores sociais, identificamos uma convergência evidente sobre qual o ganho mais significativo ao inovar.

Todos destacam ganhos de realização pessoal. Segundo esses profissionais, há muitas sensações incríveis na vida, mas poucas podem ser equiparadas a fazer o que ninguém havia feito e causar impacto positivo a si próprio e ao seu entorno.

Imagine na pessoa que escalpou o Everest pela primeira vez anos atrás. Ou o inventor de um importante medicamento. O grande ganho da inovação para o indivíduo não é financeiro. Não há nada mais sensacional do que poder olhar para si e para os seus e dizer: “eu fiz o que parecia impossível”.

 

A inovação é decisiva para o desenvolvimento econômico e social. Também é fundamental para as empresas no cenário de hipercompetição. Mas é algo ainda mais relevante para cada um de nós seres humanos atingirmos nosso ápice. Para termos uma sociedade inovadora precisamos difundir essa ideia em cada um de nós. Para que criemos e incentivemos o crescimento de empresas inovadoras.

Ter clareza da proposta de valor da inovação é o ponto central para essa sensibilização nos diferentes níveis. Faça essa reflexão e você vai compreender as razões de sermos uma sociedade dependente de inovação. Envolva-se com essa causa e ajude a sociedade, empresas e você mesmo a avançar por meio da inovação.