SW2

Startup Weekend – Uma imersão na cultura Startup.

Por

Rafaela Sanzi

dia de de

Recentemente participamos do Startup Weekend Novo Hamburgo. Quem participa de um Startup Weekend o faz por basicamente três motivos: aprender, conectar-se com outras pessoas e empreender, propósitos claros do evento. No entanto, os aprendizados dessa intensa experiência ultrapassam os seus propósitos.

SWNEO evento que é promovido pela Google for Entrepreneurs e já ocorreu em 150 países e mobilizou mais de 193 mil participantes, dura 54 horas promove uma imersão na cultura de startup despertando o empreendedorismo inovador. O network é um dos fatores chaves do evento, os participantes, que são desenvolvedores, designers e profissionais de business são desafiados a transformar ideias em negócios em dois dias e meio. Formam-se times com pessoas que você recém conheceu e que tem talentos e conhecimentos diversos. A Google acredita que essa mistura de talentos complementares potencializa a criação de negócios bem sucedidos. É um processo constante de aprendizado, seja pelas palestras dadas por quem já empreendeu, seja pela mentoria e, principalmente, por construir um MVP em dois dias, medir validando com consumidores e traduzir esse aprendizado em adaptação do modelo de negócio inicial.

As Startups são organizações que diferem-se de grandes companhias, pois tem uma lógica de negócio que adequa-se a ambientes de grande incerteza, muitas vezes setores de tecnologia. Utilizam métodos ágeis de elaboração de modelo de negócio, experimentação, mensuração, aprendizado e constante adaptação desse modelo visando sua escalabilidade.

Uma startup é essencialmente uma organização feita para buscar por um modelo de negócio sustentável e escalável. (Steve Blank)

Alguns dos aprendizados do Startup Weekend que são importantes para o sucesso de qualquer negócio:

Forme times com pessoas de perfis complementares. Você não pode ser bom em tudo, procure pessoas que sejam melhores que você naquilo que é importante para o negócio.
Não precisa ser tudo do seu jeito e é melhor que não seja. Tenha flexibilidade em saber quando aceitar as ideias dos demais e quando defender a sua.
Não se apaixone pela ideia. Provavelmente você vai ter que muda-la após o primeiro contato com o mercado.
Não se preocupe em construir o produto perfeito. Quanto mais cedo você errar, mais barato será o aprendizado.
Valide sua ideia com os possíveis clientes. Nem sempre o que os empreendedores pensam reflete o que o mercado quer.

Nenhuma empresa está livre de cometer erros, como por exemplo lançar um produto com pouca aceitação de mercado. A inovação disruptiva pressupõem o risco de dar errado, portanto o erro acaba sendo inerente ao processo. O segredo do método das startups é poder testar o produto antes mesmo de ser completamente pronto, errar o quanto antes, para poder corrigir o mais rápido possível, minimizando as perdas. Quem teme errar, dificilmente irá acertar.

Para cada uma de nossas falhas, tínhamos planilhas incríveis. (Scott Cook)

Raul de Souza e Rafaela Sanzi